São Paulo tem pior aproveitamento das últimas três temporadas no Brasileirão

Hernán Crespo tem pior aproveitamento no São Paulo nas últimas três edições do Brasileirão. (Foto: Twitter do São Paulo)

A campanha do São Paulo no Brasileirão definitivamente não engrenou. Depois do empate sem gols de ontem, no Morumbi, contra o América Mineiro, o Tricolor perdeu a oportunidade de chegar à primeira metade da tabela. Mais do que isso, desperdiçou a chance de virar a página depois da eliminação na Copa do Brasil.

Crespo rebate pergunta sobre suposta demora nas substituições e aponta questão física de Calleri: “Não concordo”

Passados 21 jogos no Brasileirão, o São Paulo de Crespo tem o pior aproveitamento na comparação com as últimas duas edições da competição. Os principais índices da edição 2021 são piores ante o desempenho do time em 2019 e 2020, mesmo com elenco mais robusto.

São Paulo 0 x 0 América Mineiro: Confira melhores momentos da partida

Levantamento do Nação Tricolor aponta que, na 21ª rodada do Brasileirão 2021, o São Paulo tem somente seis vitórias, oito empates e sete derrotas. O time marcou somente 18 gols (menos de um por jogo) e sofreu 23 gols (mais de um por jogo na média). Ao todo, são 26 pontos conquistados e irrisórios 41,2% de aproveitamento.

Em 2020, sob comando de Fernando Diniz, o São Paulo era o vice-líder do Brasileirão na oportunidade, com 12 vitórias, sete empates e apenas duas derrotas. O time havia marcado 37 gols (mais do que o dobro do que o time atual) e somente 18 gols sofridos. Eram 43 pontos conquistados nesta altura da competição, dois pontos atrás do então líder Atlético Mineiro, com 68,2% de aproveitamento.

Antes disso, com Cuca, em 2019, o São Paulo tinha nove vitórias, oito empates e quatro derrotas: 35 pontos conquistados. Foram 23 gols marcados e 15 sofridos: 55,5% de aproveitamento. Aliás, foi justamente nesta rodada em que o técnico foi demitido, com o time no 6º lugar, após derrota para o Goiás, em pleno Morumbi.

Ou seja, o São Paulo tem problemas para desenvolver o ataque (tem o pior número de gols marcados da era dos pontos corridos na 21ª rodada) e dificuldade para vencer jogos como mandante (foram apenas três até aqui).