Ídolo bicampeão brasileiro pelo São Paulo anuncia aposentadoria dos gramados

Com Souza, São Paulo foi bicampeão brasileiro em 2007. (Foto: Twitter do São Paulo)

Um dos pilares do time que seria tricampeão brasileiro de forma consecutiva pelo São Paulo entre 2006 e 2008 acaba de anunciar sua aposentadoria dos gramados. Conhecido pelo jeito irreverente, o alagoano Souza vai pendurar as chuteiras aos 42 anos.

O meio-campista que foi atuar na ala-direita do Tricolor por ideia de Muricy Ramalho destaca que “era o improvável que se tornou provável” e fala com orgulho sobre sua carreira que, entre outras conquistas, foi jogar na Europa depois de fazer história no São Paulo.

“Estou parando e agora, como Deus me trouxe para um lugar que não estava nos meus planos, nunca esteve, vou atuar como comentarista. A carreira de jogador de futebol é uma loucura, nem sempre dá pra fazer planos, a gente sempre acha que aquilo é pra vida toda, então, não que eu sinta falta, mas tudo na minha vida eu uso sempre essa frase: ‘Eu era o improvável que se tornou provável'”, destaca Souza, em entrevista ao GE.

“Ninguém pode tirar o sonho da gente”, diz o ex-jogador do São Paulo

Souza destaca ainda que realizou o sonho de ser jogador de futebol, mesmo sendo criado em um bairro da periferia de Maceió. Ele pontua que “ninguém tem o direito de tirar o sonho da gente”.

“Eu tinha tudo para desistir do meu sonho, mas eu escolhi não desistir. Se eu desistisse, não estaria aqui falando com vocês. Eu sou de um bairro violento, mas eu me orgulho de muita coisa que Deus, primeiro, e depois o esporte me deram. Nunca peguei o que é dos outros, nunca usei drogas e me orgulho muito de tudo isso. Nunca deixei passar aquilo que Deus colocou dentro de mim: o meu sonho”, afirma o agora ex-jogador, que se tornou comentarista da TV Bandeirantes.

Em 2003, Souza chegou ao São Paulo, contratado junto à Portuguesa Santista. No Tricolor, ele foi campeão do Paulistão, da Libertadores e do Mundo em 2005 e bicampeão brasileiro em 2006 e 2007. Em seguida, foi jogar no PSG e rodou o Brasil no retorno até fechar a carreira pelo Murici, em 2020.