Decisivo, Rigoni se estabelece como o cara do São Paulo pós-título paulista

Rigoni marcou duas vezes no Morumbi, mas São Paulo não passou do empate contra o Fortaleza na Copa do Brasil. (Foto: Twitter do São Paulo)

Aos 28 anos, Emiliano Rigoni se estabelece como o principal jogador do São Paulo desde o título do Paulistão, conquistado em maio. Detalhe: o argentino foi contratado em junho, junto ao Elche, da Espanha, a pedido do técnico Hernán Crespo. A importância vai além dos números. Porque desde a sua chegada, o São Paulo buscou a contratação de outro centroavante para ser titular. Não obteve êxito.

Joia de Cotia retorna ao Brasil para defender rival do São Paulo

Ao todo, de acordo com o SofaScore, são 20 jogos de Rigoni pelo clube, 15 deles como titular. Foram nove gols e cinco assistências. O meia precisa de 96 minutos para participar de um gol. Além disso, deu 37 passes decisivos.

Rigoni lamenta empate, mas define passagem pelo São Paulo como melhor momento da carreira

A maioria dos atacantes que o time têm no elenco simplesmente se lesionaram. Casos de Luciano, Eder e Marquinhos. Os outros dois, oscilaram bastante no desempenho e não se apresentaram como opções confiáveis: Pablo, Galeano e Joao Rojas.

Por isso, enquanto esteve saudável, Rigoni entregou bons resultados. Chegou a se lesionar neste meio tempo também. Mas no geral ele é o artilheiro do time na Copa do Brasil, com cinco gols, o vice-artilheiro na temporada, com nove e o segundo jogador com maior participação em gols também: 14. Nos últimos dois números, só fica atrás de Pablo, que marcou 13 vezes e participou de 17 gols.

Em entrevista ontem, após a partida, Rigoni revelou estar em seu melhor momento na carreira. E que sonha com Seleção Argentina. Com atuações como a de ontem, no empate contra o Fortaleza, ele coloca uma pulga atrás da orelha do técnico Lionel Scaloni realmente.