Crespo não aprova investida em grande atacante, e São Paulo toma atitude por jogador de meio de campo

Técnico do São Paulo, Hernán Crespo, conversa com Daniel Alves, um dos principais jogadores do elenco. (Foto: Twitter da Libertadores)

As elevadas dívidas, estimadas em R$ 580 milhões, fizeram o São Paulo, do técnico Hernán Crespo, rever suas prioridades neste início de abril. Neste sentido, o diretor de futebol do Tricolor, Carlos Belmonte, informou que a prioridade é a de quitar pendências com alguns jogadores. O principal deles é o capitão são-paulino, Daniel Alves, cujos valores giram em torno dos R$ 12 milhões.

Por isso, o São Paulo abriu mão de Rafael Santos Borré, atacante com contrato até junho com o River Plate. O Palmeiras e o Grêmio também chegaram a sondar o jogador, mas desistiram da investida por entenderem que os valores são elevados.

O presidente do São Paulo, Julio Casares, também não vai avançar nas negociações com o volante uruguaio Gabriel Neves, do Nacional de Montevidéu. Em afirmação ao canal Arnaldo & Tironi, no YouTube, Belmonte disse que Casares não vai elevar os valores para contratá-lo.

O nome de Neves voltou à pauta porque o blogueiro do UOL, Hernán Crespo, entende que Rodrigo Nestor é melhor que o uruguaio. Por isso, as energias do São Paulo estão voltadas para a manutenção do atleta, em processo de renovação.