OPINIÃO – São Paulo e a esperança com Dorival

Dorival Jr. trabalhou no São Paulo em 2017. (Foto: Twitter do São Paulo)

Por Diego Santos*

O São Paulo não estava bem. Fato. O desempenho do time caía gradativamente a cada partida. Não fez um Paulistão seguro. Pelo contrário. Terminou a primeira fase empatado com o Água Santa. E no embate entre os dois, foi eliminado nas quartas de final.

Se trombar na balada, é cacete e pau”: Presidente da Independente defende Rogério Ceni e quer ‘acabar com paneleiros’ do elenco

Você conhece o YouTube do Nação Tricolor? Clique aqui e inscreva-se no canal para ter notícias sobre o São Paulo

A eliminação no Paulista foi o início do fim. O clima piorou e Rogério teve enfrentamento direto com alguns jogadores. Ficou insustentável. Apesar das vitórias na Copa SulAmericana contra Tigre e Puerto Cabello, a derrota para o Botafogo foi a gota d’água para Ceni ser demitido.

Dorival Jr. foi o escolhido, novamente sucedendo o então demitido Rogério Ceni, como fora em 2017. Assim como naquele ano, chega para melhorar ânimo e perspectiva. Assim foi na estreia diante do América-MG, no Morumbi, numa vitória por 3 a 0. E na vitória por 1 a 0, consequentemente classificação na Copa do Brasil.

São Paulo tem mudança com Dorival

É claro que a amostragem de Dorival nessa nova passagem é bem pequena, mas é possível notar uma mudança. E não só nos losango no meio-campo, mas na utilização do ótimo Gabi Neves e no bom Marcos Paulo. Jogadores que não tinham muitas chances com Ceni.

Não sabemos o fim, mas Dorival já chegou animando. Transformando perspectiva e deixando um gostinho legal para a torcida tricolor.